Carregando...

Notícias

27/01/2014

Sincades reúne lideranças em Encontro de Verão

O Sindicado do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo (Sincades) promoveu, no dia 25 de janeiro, na Fazenda Meaípe, em Guarapari, o 8º Encontro de Verão do Sincades, reunindo diversas lideranças empresariais e políticas do Estado. Participaram, cerca de 150 pessoas deste evento que mistura descontração e muita conversa importante. 

Estiveram presentes no Encontro o governador do estado, Renato Casagrande, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Espírito Santo (ES), Júlio da Silva Rocha Júnior, o presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, o presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri, o presidente da ONG Espírito Santo em Ação, Luis Wagner Chieppe, o deputado estadual Gilson Lopes, o presidente da Assembléia Legislativa, Teodorico Ferraço, o chefe da Casa Civil, Tyago Hoffmann, entre outras autoridades.

O anfitrião do evento, Idalberto Moro, presidente do Sincades, destacou a parceria da classe empresarial junto ao governo do Estado e sociedade em geral. “É um privilégio para o Espírito Santo ter uma classe empresarial unida e com interesses convergentes para o desenvolvimento do estado. Construímos uma relação forte com o Governo, que nos vê como um importante segmento da economia e tem criado as condições necessárias para que empresários atacadistas e distribuidores desenvolvam seus negócios aqui no Espírito Santo, gerando emprego e renda e incrementado a economia”, ressaltou. 

O presidente da ONG Espírito Santo em Ação, Luis Wagner Chieppe, reforçou a palavra do anfitrião. “Aqui todos jogam com o mesmo objetivo que é o de construir e trabalhar para o coletivo”, disse.

Já o governador Renato Casagrande, em seu discurso, destacou o ambiente descontraído da ocasião, onde as pessoas estão abertas às trocas de ideias e com a presença de importantes lideranças capixabas. Casagrande aproveitou para ressaltar a parceria consistente do governo com os empresários capixabas. “A humildade tem que fazer parte do nosso dia a dia, para que possamos ver que só conseguimos um governo pleno se tivermos parceiros. E essas parcerias precisam ser valorizadas sempre”, concluiu o governador.

Após a abertura oficial do Encontro de Verão, os convidados tiveram a oportunidade de degustar a paella feita pelo chef Enrique Vega, ao som da voz e violão de Heráclito, com MPB e bossa nova no repertório.

O segmento e seu crescimento

O comércio atacadista e distribuidor têm um papel fundamental para o Estado, pois gera empregos e renda, sendo uma das molas propulsoras da economia capixaba. Em 2007, o setor ganhou maior representatividade com a criação do Sincades. De lá pra cá, foi construída uma história de crescimento do setor com diversas ações, merecendo destaque na assinatura do Contrato de Competitividade (Compet-ES), em parceria com o Governo do Estado. 

Esse crescimento se reflete nos números. Atualmente, são atualmente mais de 800 empresas – sendo que a maioria delas, cerca de 80%, vende também para outros estados – e 40 mil empregos diretos e indiretos no segmento. Além disso, no ano de 2012, as empresas atacadistas e distribuidoras movimentaram R$175 bilhões, garantindo a posição de terceiro maior pólo distribuidor do país. É a atuação do Sincades abrindo as portas para que as empresas do setor deixem sua marca de competência em todo o Brasil.

Com mais de 20 anos de atuação no segmento atacadista e distribuidor, o empresário Idalberto Luiz Moro, que está à frente do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo (Sincades), ressalta a importância do papel da instituição. “Somos o principal elo do setor. Um segmento só é forte quando tem uma instituição forte e participativa e o Sincades conta com o envolvimento e a credibilidade das empresas. Temos representatividade para defender os interesses do atacadista distribuidor junto ao poder público e discutir as políticas que impactarão diretamente nas empresas e na economia como um todo. Nós conhecemos o setor, suas necessidades e potencialidades. Com isso, podemos levar as demandas aos gestores públicos e debater com eles, maneiras de criar condições para o desenvolvimento do segmento”, explicou.