Carregando...

Notícias

07/12/2021

Acelerando o desenvolvimento do ES: Sincades se reúne com entidades para discutir prorrogação dos incentivos fiscais


Geração de emprego e renda, arrecadação de impostos, aumento da competitividade e de investimentos no Espírito Santo. Esses são apenas alguns dos benefícios proporcionados à economia capixaba com a prorrogação dos incentivos fiscais, debatidos por autoridades na manhã desta segunda-feira (06), no Encontro Setorial: Atacadista e Distribuidor, Comércio Exterior e Varejo, no Vitória Grand Hall.

Com a temática “Incentivos Fiscais: Acelerando o desenvolvimento do ES”, o evento foi organizado pelo Sincades, Sindiex e Fecomércio-ES, e contou com o apoio institucional da Acapes, Transcares, Avenpes e Governo do Estado. Todos os protocolos de segurança contra a Covid-19 foram seguidos durante o encontro, que foi transmitido ao vivo pelo Youtube do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor.

Na ocasião, o presidente do Sincades, Idalberto Moro, destacou a importância do setor para a logística e economia do Espírito Santo, responsável por uma das maiores arrecadações de ICMS do estado e mais de 1.500 companhias que geram cerca de 55 mil empregos diretos e indiretos. “Fruto de mais de 20 anos de governabilidade e investimentos, o setor atacadista crescerá ainda mais com a prorrogação e contribuirá para a movimentação econômica capixaba”, pontuou.

O presidente do Sindiex, Sidemar de Lima Acosta, também esteve presente e comemorou a prorrogação dos incentivos, que contribuirá com o comércio de exportação e importação. “Nós geramos 50% do PIB do estado, mais de 100 mil empregos, R$32 milhões aos cofres públicos e três milhões e seiscentas toneladas. É o melhor resultado dos últimos dez anos. A Lei Complementar 186/2021 permitirá a perpetuação desse desenvolvimento e a manutenção de empresas aqui no estado”, salientou.

A perspectiva, segundo Acosta, é de que novos projetos saiam do papel com a renovação dos incentivos, que devem contribuir para a ampliação de rotas, operações e as malhas ferroviária, industrial e alfandegária. Só em 2021, as exportações tiveram um aumento de 90% em relação ao mesmo período do ano passado, e as importações, 53%. Além disso, o PIB do ES no setor chegou em 53,55%, acima da média nacional.

Para o presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri, o novo prazo é necessário para manter a competitividade do setor e fortalecer os incentivos, que representam a ampliação e qualificação de empresas, mão-de-obra e competitividade no estado. “A matéria proporciona garantias jurídicas, investimentos na inovação, oferta de empregos e aumento da receita. Assim, a renda cresce e o lucro é potencializado”, explica. 

Porto de Aracruz em três anos

Com uma área total de um milhão de metros quadrados, o complexo portuário da Imetame Metalmecânica, localizado em Aracruz, no Norte do Espírito Santo, tem previsão de ser inaugurado no 1º semestre de 2024. Quem confirma é o diretor de Operações do grupo, Anderson Carvalho, confiante de que a estrutura e localização estratégica do porto, somados à prorrogação dos incentivos, contribuirão para a competitividade no setor.

“Neste primeiro momento, focaremos em containers e cargas gerais, com uma sólida estratégia de negócios. Vamos comandar navios de até 400 metros, com sete berços de atracação, canal curto e capacidade operacional de 17 metros em águas profundas. Além disso, o porto será 100% licenciado e sustentável, com hub portuário para a Ásia e uma área de influência que representa 70% do PIB do setor”, afirma.

Vantagens competitivas e geográficas

O secretário de Inovação e Desenvolvimento do Estado, Tyago Hoffmann, também participou do encontro e trouxe dados relevantes sobre a importância dos incentivos fiscais para a chegada de novos empreendimentos e para a ascensão econômica estadual.

Na área da saúde, Hoffman destacou que mais de mil leitos hospitalares foram fornecidos pelo estado na pandemia, o que rendeu para o Espírito Santo o destaque de estado com melhor gestão contra a Covid-19. Ainda durante esses quase dois anos desde a chegada do Coronavírus, o Governo executou um plano para a recuperação econômica e geração de renda, com a oferta de 60 mil empregos e um investimento de R$ 33 bilhões.

Essas iniciativas contribuíram para que o estado conquistasse o 1º lugar em transparência no Brasil, a nota A em gestão fiscal, a quinta posição no ranking de estado mais competitivo do país e o 3º em liberdade econômica. O programa de geração de energias renováveis e o programa de proatividade na atração de investimentos também contribuíram para essas colocações. A expectativa é de que mais de R$ 5 bilhões sejam gerados para a economia do ES nos próximos cinco anos.

Homenageados

No encerramento do evento, foram homenageados pelo árduo trabalho na aprovação da Lei Complementar 186/2021, o governador Renato Casagrande (PSB), a senadora Rose de Freitas (MDB-ES), o deputado federal Da Vitória (Cidadania-ES) e o presidente da ABAD - Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados, Leonardo Severini.

"Tivemos muitos avanços na infraestrutura local. Este ano, tivemos record no setor e, em 2022, estamos confiantes de que o crescimento será ainda maior. Estamos no caminho certo para o desenvolvimento do Espírito Santo", disse o governador.