Carregando...

Notícias

24/11/2014

Hilal Sami Hilal recebe o prêmio Elo Cultural no jantar de final de ano do Sincades e do Instituto Sincades

O artista plástico capixaba Hilal Sami Hilal, reconhecido nacionalmente e criador de esculturas individuais e coletivas, recebeu o prêmio Elo Cultural no Jantar de final de ano do Sincades e do Instituto Sincades, realizado no Centro de Convenções de Vitória no dia 21 de novembro.

O prêmio Elo Cultural é dado em forma de homenagem para as personalidades e instituições da área cultural que contribuíram para elevar o padrão cultural dos capixabas, ao reconhecer e valorizar o talento e democratizar o acesso às mais diversas manifestações culturais. Já receberam esta homenagem a ex-secretária Estadual de Cultura, Deyse Lemos, o diretor do Museu da Vale, Ronaldo Barbosa, o maestro Helder Trefzger e a proprietária da galeria Ana Terra, Ana Coeli Piovesan.

Artista multimídia, Hilal Sami Hilal afirma que o prêmio tem grande importância para a cultura capixaba. “Com esta homenagem, tenho a responsabilidade de ter uma seriedade ainda maior na minha produção. Vemos no Espírito Santo nos últimos anos uma preocupação visível, materializada em prêmios e exposições, e este é um momento diferenciado para a cultura do nosso Estado. O grande início da valorização dos artistas plásticos capixabas é o programa ´Poéticas da Tridimensionalidade’, que vai trazer mais informação e formação para nossa área e nos capacitar”, destaca.

O presidente do Instituto Sincades, Idalberto Moro, destacou os investimentos realizados nos últimos anos em prol da cultura e dos artistas capixabas. “Nos últimos quatro anos, viabilizamos a editoração e publicação de 77 livros, cada um com tiragem de mil exemplares. Além disso, realizamos 28 exposições de arte, que receberam, no total, mais de 250 mil pessoas. Trabalhamos para proporcionar à população o conhecimento e o encantamento da arte capixaba, brasileira e internacional”, completa.

Homenagem póstuma

Durante o jantar, também foi feita uma homenagem póstuma ao escritor e jornalista Marien Calixte, falecido no final de 2013. Durante 50 anos, Marien ele se dedicou ao rádio, jornalismo, música, literatura, pintura e foi diretor de teatro e produtor cultural. Além disso, publicou mais de 20 livros de diferentes gêneros.