Carregando...

Notícias

22/10/2018

Pesquisa aponta: salário já não é o mais importante para colaboradores

Fatores como plano de carreira, autonomia e feedback contam, cada vez mais, no momento da decisão sobre permanecer em um emprego ou aceitar uma nova vaga de trabalho. O salário já não é o fator decisivo para colaboradores, ficando atrás de ações organizacionais e de gestão de pessoas promovidas pelas empresas.


Uma pesquisa feita pelo Instituto Great Place to Work, que realiza o prêmio “As Melhores Empresas para Trabalhar”, apontou que 54% dos profissionais buscam crescimento e aperfeiçoamento dentro de uma organização. Em seguida está o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, que obteve 27% das respostas. O salário, por sua vez, ficou na terceira posição no ranking, com 15% das respostas.


Segundo a gerente Executiva do Departamento Humano Organizacional da Autoglass, empresa associada ao Sincades, Zamara Ferreira Ribeiro, práticas voltadas ao cuidado com as pessoas levam a empresa a se tornar um bom lugar para trabalhar. “O salário não é mais o que salta aos olhos de um profissional na hora de optar por uma vaga. Estimular as pessoas, ter cuidado com a saúde dos colaboradores e oferecer treinamentos e eventos corporativos geram engajamento e tornam o ambiente saudável”.


Possibilidade de crescimento na carreira, estabilidade e práticas que levem o empregado a se sentir parte da empresa também geram um bom clima dentro da empresa e levam a resultados melhores, de acordo com Zamara. “Pessoas geram resultados, e sentir-se parte do negócio aumenta o comprometimento com a empresa. É o que chamamos de alto engajamento. Prova disso é que conquistamos pelo quarto ano o prêmio Great Place to Work”, completa.


Assunto foi debatido em fórum no ES


Em um mercado cada vez mais competitivo, empresários devem se atentar em relação ao ambiente de trabalho proporcionado aos colaboradores. O presidente do Instituto Brasileiro de Executivos e Finanças do Espírito Santo (IBEF-ES), Alessandro Dadalto, explica que há uma necessidade de que empreendedores discutam o tema.


Manter um ambiente de trabalho seguro e saudável não é mais uma opção, é um valor. Cabe ao empresário ter conhecimento, desenvoltura e se atualizar sobre o tema”, finalizou.


O assunto, inclusive, esteve em pauta no 3º Fórum Temático 2018 do IBEF, que neste ano trouxe a temática de como implementar a estratégia de Valor Compartilhado no RH das empresas. O evento foi realizado no último dia 18, no Auditório da Petrobras, em Vitória.