Carregando...

Notícias

07/12/2018

Com apoio do Instituto Sincades, Grupo Bergfreunde de Campinho recebe novos trajes típicos

Na última quinta (06), o Grupo Bergfreunde de Campinho realizou sua primeira apresentação com os seus novos trajes típicos! A cerimônia foi realizada no auditório da Escola Municipal Mariano Ferreira de Nazareth, em Campinho, e contou com a presença do governador Paulo Hartung e do presidente do Sincades, Idalberto Moro. No evento, também foi realizada a assinatura do Termo de Doação.


A produção de 12 trajes masculinos e 12 trajes femininos foi realizada pela Trachtenhaus Trajes Típicos, de Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul. A empresa é especializada em trajes alemães e precisou comprar itens importados direto da Alemanha. A confecção contou com o apoio do Instituto Sincades.


Confira a íntegra da carta publicada pelo Grupo abaixo e alguns registros abaixo, na Galeria de Fotos. (Fotos: Danilo Schellmann)


Guten Morgen! Bom dia a todos!


Em nome do Grupo Folclórico Bergfreunde de Campinho quero cumprimentar nosso Exmo Governador Paulo Hartung;  o Exmo prefeito de Domingos Martins, Wanzete Kruger, o senhor presidente do Instituto Sincades Idalberto Moro. Cumprimento também meus amigos integrantes do Bergfreunde e demais presentes nesta cerimônia.


Nós, do grupo Folclórico Bergfreunde de Campinho não temos palavras para agradecer a doação deste traje típico, fundamental para a manutenção das atividades do grupo. Agradecemos de maneira especial ao governador Paulo Hartung, pela ágil mobilização da ajuda, quando ainda nem nós mesmos tínhamos pensado  em como iríamos prosseguir.


De maneira especial também, agradecemos ao presidente do Instituto Sincades, senhor Idalberto Moro, que prontamente atendeu ao pedido e imediatamente iniciou os procedimentos para viabilizar a confecção destes trajes. Estendemos este agradecimento também a toda equipe do Instituto Sincades, envolvida neste processo.


Agradecemos também a equipe da TrachtchenHaus trajes típicos, de Nova Petrópolis, responsável pela confecção dos trajes típicos.


Agradecemos também a Prefeitura De Domingos Martins, nas pessoas do prefeito Wanzete Kruger e da Rejane Entringer, secretaria de Cultura e Turismo, pelo apoio e parceria junto ao grupo, principalmente durante o último ano.


Por fim, agradecemos toda a comunidade martinense pelo apoio de sempre ao grupo folclórico, sobretudo também neste último ano.


Nosso grupo Folclórico foi criado em 1984, com objetivos de resgatar, preservar e difundir a cultura e os costumes, praticamente já esquecidos,  dos imigrantes alemães, que colonizaram nosso município. Um trabalho essencial de resgate cultural, realizado por meio da dança, desenvolvido por três gerações de jovens da cidade e que trouxe de volta o sentimento de identidade de todo um município.


Ao longo de três décadas e meia, o Bergfreunde também foi responsável, direta e indiretamente, pela formação  de dezenas de outros grupos folclóricos pelo Espírito Santo, e até mesmo em outros estados, espalhando a semente do resgate cultural, que permite a união das comunidades em torno deste nobre objetivo.


Em setembro de 2017, sofremos junto com toda a comunidade e acredito eu, com todo o estado, nossa maior perda. Uma perda que é irreparável. Onze amigos se foram. Por isso, a entrega deste material se torna ainda mais importante. Este traje típico não é mera indumentária, mas sim, um instrumento com o qual representaremos a memória e o legado de todos que já fizeram parte do Bergfreunde, em especial destes que não estão mais presentes em nosso convívio.


O traje utilizado pelo grupo folclórico e apresentado aqui nesta cerimônia é um Miesbachtracht. De acordo com  historiador e romancista, Telix Dahn, o Traje de Miesbach possui sua origem nas vestes dos madeireiros do Tirol. Fazendo suas próprias adaptações, tal indumentária tomou-se, a mais autêntica da Baviera desde 1860, sendo utilizada até os dias de hoje.


O traje, confeccionado nos padrões aqui apresentados, chama-se “Schalk” e é um traje de gala, usado em ocasiões especiais como Casamentos, Batizados e Festas Religiosas. Para festas mais simples ou mesmo para os grupos de dança, o traje sofreu algumas modificações, substituindo o “Schalk” por um colete com muitas correntes e ganchos.


Este traje, que vem sendo preservado e usado desde de 1919, tornou-se um dos mais conhecidos em toda a Alemanha, servindo de modelo para muitas outras regiões, que por sua vez fizeram suas próprias alterações.


Para encerrar, quero ressaltar que nós do grupo folclórico Bergfreunde estamos felizes e honrados por este presente e queremos reafirmar aqui nosso compromisso em continuar este trabalho por muitas décadas para que nem essa linda cultura, nem a memória de nossos amigos sejam esquecidas.


Mais uma vez, muito obrigada!

 

Foto de capa: Lorena Müller/ PMDM